Visita à Sala São Paulo

Feriado é tempo de blogar, afinal desde março eu não conseguia escrever nada por aqui. #shameonme
Além do mais, com quatro dias de descanso (Páscoa + Tiradentes) dá tempo de sobra para descansar e curtir São Paulo vazia, fazendo passeios baratinhos e bacanas.

Para quem mora em São Paulo a dica da vez é a visita monitorada à Sala São Paulo. Fui no sábado, dia que a visita é grátis, e adorei o passeio! Indico para quem gosta história, arquitetura e, claro, acústica! A Sala São Paulo, onde a OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) ensaia e se apresenta , é uma das três melhores em aúdio e acústica no mundo. Sério, é de tirar o fôlego ver a tecnologia empregada nos espetáculos. Para vocês terem noção, o forro da sala é móvel e abaixa e levanta conforme o tipo de peça que será apresentada pela orquestra.

Durante a visita, dá para entender toda a história do edifício da Estrada de Ferro Sorocabana, aquele prédio lindo onde fica a Sala São Paulo. São 50 minutos de monitoria, que passa pela arquitetura, história do café e das estradas de ferro do Brasil, da OSESP, e até testes de acústica dentro da Sala São Paulo.

Mal posso esperar para assistir um espetáculo lá. O mais legal é que dá para ir sem pagar nada: todo domingo tem concertos matinais de graça! Quando eu for, conto aqui (:

Ladrilho Sala São Paulo

Ladrilhos com mosaicos que representam as folhas de café, produto escoado pelos trens que passavam na estação | Slipper da Corello

Folhas de café nas portas do edifício

Folhas de café nas portas do edifício

Estação Julio Prestes

Estação Julio Prestes

 

Uma das cúpulas do edifício

Uma das cúpulas do edifício

cúpula sala são paulo

IMG_1719

IMG_1734

Sala São Paulo

Este salão é alugado para eventos

Sala São Paulo Lustre

Lustre espanhol

 

Vitral sala são paulo

O vitral foi feito por alemães

A exuberante Sala São Paulo e seu forro rebaixável

A exuberante Sala São Paulo e seu forro rebaixável

Arquitetura Sala São Paulo

Relógio da Estação da Luz, visto da Estação Júlio Prestes

Relógio da Estação da Luz, visto da Estação Júlio Prestes

Prédio da Estação Pinacoteca

Prédio da Estação Pinacoteca

Eu e o Alan, sendo esquisitos depois da visitação

Eu e o Alan sendo esquisitos depois da visitação

Visitação à Sala São Paulo

Preços – De segunda a sexta-feira: R$5,00 por pessoa. Aos sábados e domingos: grátis.

Agendamento – Para grupos acima de dez pessoas o agendamento é necessário. Para grupos menores é bom agendar para garantir o ingresso, senão é chegar lá e esperar para ver se tem ingresso.

Informações de agendamento –  visita@osesp.art.br ou (11) 3367-9573

Advertisements

Destrua Este Diário – Passo a passo

Destrua este diário passo a passo 1

Pois é, eu nunca tinha ouvido falar desse “livro”. Não tenho muito o costume de ler resenhas de livros pela internet. A menos que eu queira ler um específico, aí sim eu vou atrás da resenha. Fora isso não gosto muito, porque sei que não vou me interessar pelo o que todo mundo está resenhando (meu gosto é muito específico).

Por isso, nunca tinha ouvido falar desse livro até que… TCHARAM: ele apareceu no meu feed do Instagram. Fui, como faço com todo livro que me interessa, dar um googada. Para minha surpresa, achei o livro um máximo de divertido!Adorei a ideia de interagir de modo não-convencional com ele!

Para quem nunca ouviu falar, o “Destrua Este Diário”, é um dos livros da Keri Smith e propõe que você exercite sua criatividade, brincando com o livro de forma inusitada.

Resultado: comprei o meu e resolvi ir registrando aqui no blog o processo de destruição do meu diário. : )
Sempre que tiver mais destruição nova, eu mostro aqui para vocês. Espero que gostem, porque eu estou amando! ❤

destrua este diário enumerar páginas

Uma das primeiras “atividades” é enumerar as páginas do diário. Estou tentando explorar minha interpretação de cada uma das atividades, então escolhi usar números egípcios (o Fanton, que trabalha comigo, me ajudou nessa). Fiz até uma colinha para ajudar na hora de colocar os números, mas não terminei de escrever em todas as páginas porque é muita coisa. : (

destrua este diário arrebentar a lombada

Esta parte foi legal. A palavra “arrebente” me lembrou um documentário que eu tinha visto no dia anterior, o Surplus. Resolvi escrever uma frase que o John Zerzan (filósofo anorco-primitivista) diz no filme. Achei legal registrar todas ações físicas com algum desenho e/ou frase.

destrua este diário lombada

A famigerada lombada do livro quebrada. Que dó! haha

destrua este diário deixando a página em branco

Esta e uma das páginas mais irônicas do livro todo. Uma página preta, que deve ser deixada EM BRANCO. haha
Pintei com lápis branco!

destrua este diário esfregue um pouco com um lápis

Esta página dizia que era para esfregar um lápis. Como eu estou tentando ao máximo explorar minha criatividade, lembrei de uma brincadeira de criança: registrar os relevos de moedas! Aproveitei e coloquei a frase de algum rap que eu não me recordo mais. O fato é esse mesmo, há tempos eu não corro mais atrás do ouro dos tolos pura & simplesmente.

destrua este diário esfregue um pouco de lápis

destrua este diário suba bem alto, deixe o diário cair

Aí está! Uma página em que a ação é física. Achei esse recorte de uma menina voando e achei que caberia perfeitamente na página, para ilustrar a ação. (:

destrua este diário suba aqui

Minha formação é em jornalismo e eu não sei desenhar e não tenho material de desenho em casa. Por isso, me viro com o que acho por aí. Esse registro dos meus pés foi feito com base de maquiagem, acreditam? Era uma que eu não usava porque não gostava da textura. Achei um ótimo fim para ela, servir de tinta para meus pés! haha

IMG_1469

Página de aletoriedades, com uma folha que veio ao meu encontro antes de uma chuvona.

IMG_1479

Sim! Eu lambi o dedo e passei por partes do desenho, haha. No mínimo: divertido!

IMG_1480

Circulando palavras que eu gosto, nos recortes de revistas.

  • Onde eu começo a destruição?

Para quem achou bacana: o livro raramente passa de R$ 20,00, pelo menos foi o que eu vi quando googuei-o.
Eu comprei o meu na Fnac, foi R$16 e chegou em um dia pelos Correios! Acho que vale a pena! (:

Beijos e até a próxima!

Quem é vivo sempre aparece

Depois de quase um mês longe do blog, cá estou eu, com o rabinho por entre as pernas. Não me atirem pedras por conta do sumiço, por favor!

Vocês sabem, minha gente, final de ano é sempre uma loucura! Parece que tudo o que não aconteceu até outubro, decide acontecer em uma avalanche só. No meu caso, foi no trabalho. Muitos novos projetos entraram — graças a Jah — e aumentou considerávelmente o meu volume de trabalho. Além disso, aproveitei o meu único tempo livre, à noite, para fazer um curso de Google Adwords Expert Search, na Goobec. Aprendi muito nas duas semanas de curso, e ainda descolei um dia de folga no trabalho para participar do Training Day, um evento de Adwords promovido pelo Google, no dia 12 de novembro! UFA!

Para não falar só de trabalho, vim contar também o que eu andei fazendo para ~desopilar~ o cabeção. Ninguém merece pensar em Marketing 7 dias por semana, 24 horas por dia. Tive que me desligar um pouco de tudo também, principalmente do ambiente virtual. Aconselho que todo mundo possa fazer um pouco isso, é como se colocássemos metade de nós mesmos para descansar. (:

  • Exposição Stanley Kubrick – MIS 
Vão livre do MUBE - MIS

Blusa de renda guipir – Aliexpress | Short florido – José Paulino, Bom Retiro | Cinto marrom – Emme | Bolsa de franjas – Aliexpress | Round Glasses – Aliexpress | Colar étnico – presente do abôr, feito por um hippie de SP

No Feriado da República, 15 de novembro, fui ver a exposição do Stanley Kubrick, no MIS (Museu da Imagem e do Som), em SP. Foi ótimo! Estava um calor soteropolitano, mas valeu muito a pena! A exposição está maravilhosa, tem muitos objetos originais usados nos filmes do Kubrick, além de ter muitas reproduções fiéis. Dá para ficar mais de uma hora entre os ambientes que, aliás, são de cair o queixo. Você se sente nos cenários!

Recomendo a quem estiver por Sampa! Só R$ 10 (inteira) para uma tonelada de referências boas. (:
A expo vai até 12 de janeiro e de terça a entrada é free!

Natália Alves

Esqueci de tirar o adesivo da exposição, colado à minha roupa, haha #muladagaliléia

Foto de um dos pôsters da exposição. Tem de todos os filmes dirigidos pelo Kubrick!

Foto de um dos pôsteres da exposição. Tem de todos os filmes dirigidos pelo Kubrick, a maioria com essa mesma linha de design. Bem bacana!

Chorando sangue nessa máquina de escrever, original, do filme O Iluminado, "Trabalho sem diversão, faz de Jack um bobão".

Chorando sangue nessa máquina de escrever, original, do filme “O Iluminado”. A frase escrita, e repetida várias vezes, é: “Trabalho sem diversão, faz de Jack um bobão”.

Espaço do filme "2001, Uma Odisséia no Espaço". Incrível o ambiente, quem viu o filme ou leu o livro do Arthur Clarke se encantou nesse lugar!

Espaço do filme “2001, Uma Odisséia no Espaço”. Incrível o ambiente! Quem viu o filme ou leu o livro do Arthur Clarke se encantou nesse lugar!

Todo ser humano que se preza deve assistir "Laranja Mecânica", do Kubrick. Você ainda não fez isso? Feche esse blog e vá assistir AGORA! corre!

Todo ser humano do bem deve assistir “Laranja Mecânica”, do Kubrick. Você ainda não fez isso? Feche esse blog e vá assistir AGORA! ANDA!

Meu abôr e eu. Estou sendo feliz, tirando foto no espelho para postar no Facebook, enquanto ele sente vergonha de mim. É a vida.

Meu abôr e eu. Estou sendo feliz, tirando foto no espelho para postar no Facebook, enquanto ele sente vergonha de mim. É a vida.

  • Feira de Vinil do Beco 203, na Augusta
Camiseta - Me Move Calça - Me Move Sandália - Melissa Round Glasses - Aliexpress

Camiseta – Me Move | Calça legging- Me Move | Sandália – Melissa | Round Glasses – Aliexpress

Eu não tirei fotos na Feira de Vinil que o Beco 203, uma balada ~hipster~ da Augusta, promoveu. Fui com o boy, mas não gostamos do que vimos por lá. Vinis caros, promoções falsas. Você ia feliz & saltitante na banquinha que estava escrito “Promoção” e só encontrava discos da Xuxa, do Balão Mágico e da Mara Maravilha. Fora que a maioria dos títulos eram de rock. Mania infeliz essa de donos de lojas de disco acharem que só rock é música. Bando de xiitas! Não achamos nada legal de hip hop, funk, soul e eletrônica.

Isso, e as meninas que estavam de hot pants e salto em uma feira vinil (por quê, meu Cristo?), nos motivaram a ir embora em menos de uma hora do Beco. Ficamos avulsos pela Paulista até o entardecer, e fomos ao Parque Trianon. (:

Sou muito séria (e cega) dirigindo pela Avenida Paulista.

Sou muito séria (e cega) dirigindo pela Vergueiro ou Domingo de Moraes, nunca sei qual é uma e qual é a outra avenida.

Carro que eu não sei o nome. Fotografei dirigindo, imagina o perigo! Brincadeira, o farol tava vermelho. (;

  • Netflix!
Assisti Malcolm X, cinebiografia dirigida pelo Spike Lee, com o Denzel Washington como protagonista. Vale assistir para entender não só como o negro foi e é tratado nos EUA, mas para relacionar com a realidade brasileira. Além, óbvio, de entender o mito do Malcolm, símbolo de resistência negra.

Assisti Malcolm X, cinebiografia dirigida pelo Spike Lee, com o Denzel Washington como protagonista. Vale assistir para entender não só como o negro foi e é tratado nos EUA, mas para relacionar com a realidade brasileira. Além, óbvio, de entender o mito do Malcolm, símbolo de resistência negra.

Vi o Lula no Roda Viva de 1989. Fiquei impressionada com os equipamentos fotográficos da época.

Vi o Lula no Roda Viva de 1989. Fiquei impressionada com os equipamentos fotográficos da época.

Assisti também “As Cartas Psicografadas por Chico Xavier”, mas chorei tanto de emoção que não consegui tirar print. Assistam se puderem e gostarem da temática Espírita. Preparem as caixas de lenço porque é emocionantíssimo!

  • Dias em casa 

Se tem uma coisa nesta vida que eu gosto é ficar em casa. Acho até que namorar me fez bem, porque posso ficar em casa sem culpa nenhuma. Antes disso, eu sempre me sentia na obrigação de fazer algo na sexta-feira ou no sábado à noite. Não sei bem o porquê, Freud deve explicar. Eu sentia que tinha que virar a noite em algum lugar, mas ao mesmo tempo sentia uma enorme preguiça de fazer isso. Claro, houve uma época ou outra que eu adorava, mas todo final de semana cansa.

Por isso, hoje meu passatempo favorito é passar um tempo sozinha, comigo mesma, com as minhas coisinhas. É bom para pensar e preservar a própria individualidade. Meu namorado sabe, pelo menos um dia da semana, a gente quer paz & isolamento.

Oxford - Corello (meu preferido há 2 anos, que já foi e voltou do sapateiro) Round Glases - Aliexpress (sim, to apaixonada) Livro - O Cheiro do Ralo, Lourenço Mutarelli (esse livro é maravilhoso e muito louco, mas o que me ganha mesmo é a capa)

Oxford – Corello (meu preferido há 2 anos) | Round Glases – Aliexpress (sim, to apaixonada) | Livro – O Cheiro do Ralo, Lourenço Mutarelli (este livro é maravilhoso e muito maluco, mas o que me ganha mesmo é a capa <3)

Dream Catcher que eu comprei em uma viagem muito especial à Ubatuba, no último Carnaval. Junto, tem um brinco de pena que ganhei da Ana Francisca, uma grande amiga <3

Dream Catcher que eu comprei em uma viagem muito especial à Ubatuba, no último Carnaval. Junto, tem um brinco de pena que ganhei da Ana Francisca, uma grande amiga ❤

Máquina de escrever que ganhei do abôr, no meu aniversário. A garrafinha é do melhor guaraná do mundo, segundo o abôr, chama Cruzeiro. Achei fofa e coloquei flores de tecido para enfeitar. (:

Máquina de escrever que ganhei do abôr, no meu aniversário. A garrafinha é do melhor guaraná do mundo, segundo o abôr, chama Cruzeiro. Achei fofa e coloquei flores de tecido para enfeitar. O moleskine foi presente da minha mãe, que entende minha paixão por caderninhos. ❤

Mesinha que abriga os objetos acima. É da Tok & Stok, sempre tem lá e é barata: R$ 50,00.

Mesinha que abriga os objetos acima. É da Tok & Stok, sempre tem lá e é barata: R$ 50,00.

Ganesh

Cantinho místico da minha bancada. Ganesh é o removedor de obstáculos, ganhei de um amigo há anos. O arco e flecha, aos pés de Ganesh, é de Oxossi; ganhei de um outro amigo, em minha apresentação de TCC, ele disse que era para me trazer conhecimento e sabedoria (pois trouxe!). Nossa Senhora é símbolo da minha infância. O elefante está virado de bumbum para a porta, para trazer bons fluídos.

Natália Alves

Selfie nada espontâneo, porque eu gosto de brincar de Narciso & actions de Photoshop. Deixem-me viver! (:

Então, para recompensar o sumiço, fiz esse mega-post. hahaha
Não sei se foi legal para todo mundo, mas esse espaço é também um jeito de eu guardar alguns momentos meus e meu estilo de vida atual.

Espero que não deixem de me visitar por aqui. Estou com muitas ideias legais na cabeça, o que estava me faltando era mesmo o bendito tempo. De agora em diante, acredito que eu consiga me dividir melhor. Vamos acreditar e acompanhar. (:

Beijos e até o próximo post!  ♥

São Paulo do 26º andar

DSC08676_copy

Já faz um mês (sei que faz tempo, mas antes eu não tinha blog para contar, então estou perdoada, né?) que eu fui com o namorado conhecer o Edifício Martinelli, em São Paulo. Não gastamos um-tostão-de-dilmas para visitar o prédio e ter uma vista panorâmica de São Paulo. A visitação dura de 15 a 20 minutos e é grátis!

Justamente por ser gratuito, esse era um passeio que há meses eu queria fazer, mas nunca conseguia conciliar os horários das minhas aulas de inglês com a visitação ao prédio. Até que, por um milagre de Xêsus, deu uma folga e pudemos aproveitar um sábado ensolarado lá do altão.

DSC08713_copy

É super simples: só chegar no prédio, preencher uma ficha e subir. Um bombeiro/monitor faz o papel de guia turístico e conta um pouco da história do prédio e do Conde Martinelli. A construção começou em 1924 . Durante anos, só existia o Ed. Martinelli naquela região. Nos arredores, apenas vilarejos e fazendas de café. Imagina a paz e o silêncio que não deveria ser, né?

Aliás, alguma coisa dessa paz ainda está no prédio. Foi incrível ver Sampa lá do alto — principalmente o centro velho e as torres da Av. Paulista — parece que, naquela altura, todo o corre-corre lá embaixo não faz sentido algum.

É um passeio que eu super recomendo para quem vem visitar São Paulo, mas principalmente para quem mora aqui e nunca foi. Existem um montão de atividades grátis que a gente não aproveita por preguiça & falta de tempo. Então, bora tirar a bunda da cadeira do PC e conhecer um pouco da cultura do nosso bairro/cidade/estado/país. (:

Agora, eu quero conhecer o terraço do Banespão, que fica ao lado do Martinelli. Quando eu for, conto aqui!

 

Visitações: Av. São João, 35 – Centro (pertinho do Metrô São Bento)
Seg. a sex., das 9h30 às 11h30 e das 14h30 às 16h30; sáb. das 10h às 13h00
Entrada gratuita e sem agendamento

DSC08677_copy

DSC08717_copy

DSC08683_copy

DSC08720

DSC08701_copy

DSC08661