Timberland Yellow Boots | Inspiração de looks + experiência de compra

Sabe aquele tipo de sapato que você diz “nunca vou usar”, mas depois de tanto ver combinações maravilhosas acaba querendo um também? Então, foi assim o meu caso com as botas da Timberland. Fiquei vendo os looks no lookbook.nu e imaginando o que dava para fazer com as roupas que eu já tenho.

Aliás, no fim do post eu deixei as inspirações de looks que eu mais gostei nessa minha andança. ❤

Preço da Timberland Yellow Boot  – Na história de me apaixonar pela bota da Timberland, a única coisa chata foi quando eu vi o preço. No site da própria Timberland, a Yellow Boot está por R$ 499. Desculpa, gente rica, mas não pago isso em um sapato! Para minha realidade, é muito dinheiro! Então, deixei para lá e, magicamente, achei uma promoção bem mais baratinha (isso foi antes do projeto “5 meses sem gastar à toa”, fiquem tranquilas!) e consegui comprar a minha.

Timberland Yellow Boot

No primeiro dia que usei, fiquei achando que eu era o Ronald Mc Donald, porque ela dá impressão do pé ser maior. hahaha

Desculpem a foto no espelho, mas tá difícil fotografar sem controle. | Bomber jacket: Jazz Niggaz | Camiseta: Caos Clothing | Calça: Marisa

Desculpem a foto no espelho (e a bagunça atrás), mas tá difícil fotografar sem controle remoto. | Bomber jacket: Jazz Niggaz | Camiseta: Caos Clothing | Calça: Marisa | Relógio: Casio | Crucifixo: Jericoacoara

Timberland Yellow boot looks

Foto borrada por motivos de: não consigo regular o foco sozinha. : (

Onde eu comprei – Eu comprei a Yellow Boot na Loja Ocean. O pessoal da loja me garantiu que ela seria original, mas eu tenho lá minhas dúvidas… Conversei com algumas meninas em grupos de Facebook e chegamos a conclusão que, mesmo por importação, é impossível vendê-la por menos de R$ 400. De qualquer forma, se for uma réplica ela é perfeita (o que justifica o preço),  e é exatamente igual às originais que eu vi no shopping. O acabamento, o alcochoado de dentro, as costuras e reforços: tudo impecável. Então, não me incomodo. : )

Andei vendo algumas réplicas dessas botas no Aliexpress e dá vontade de chorar! Gente, tem umas com pelúcia dentro! #socorro Isso vai totalmente contra o estilo da Timberland, que fabrica sapatos para atividades outdoor, tipo montanhismo. Alguns modelos são adaptados à vida urbana, mas acho que a própria marca não tornaria a Yellow Bott uma espécie de Ugg, né? #JahÉMais

Prazo de entrega –  Bom, Minha Yellow Boot veio por importação e foi taxada pela Receita Federal em R$ 65 (todas chora!). Mesmo assim, ficou mais barata do que comprar por aqui. Eu efetuei o pagamento, por cartão de crédito, no início de junho, e ela chegou aqui no Brasil no meio de julho, mas acho que a demora foi mais por conta da Copa do Mundo.

Durante esse um mês e meio, até a chegada da bota, eu tive todo o apoio da equipe da Loja Ocean. Eles sanaram todas as minhas dúvidas por chat do Facebook e por e-mail, além de me mandar o número de rastreamento do pedido (isso dá uma amenizada sensacional na minha ansiedade).

timberland yellow boot looks

Foto do Instagram (@naaatis) de quando a belezinha chegou, e eu já fui calçando. ❤

 Inspiração de looks – Reuni todas as imagens que eu gostei nas andanças pelo Lookbook e Pinterest. Nada mega elaborado! Tudo dá para reproduzir em casa (inclusive, com outros sapatos). Espero que se divirtam vendo.

look bota timberland

Look total black, só com a echarpe e a Timberland em outra cor

Timberland yellow boot look 1

Timberland yellow boot look 2

timberland yellow boot look 3

Com meia-calça ❤

 

bota timberland look 2

Yellow boot + meia-calça + meia = total amor

bota timberland look

Com calça estampada!

look bota timberland 2

look masculino bota timberland

Homens, por favor, usem a Yellow Boot.

timberland bota look 2

timberland bota look 3

timberland bota look 4

timberland bota look 5

timberland bota look

timberland yellow boot look 4

timberland yellow boot look

Quero esse cabelo, tipo Sandrá de Sá!

Espero que tenham gostado. Fiz com carinho ❤
Até o próximo post!

Bazar Venda de Garagem ABC – Edição Arraial

Alerta vermelho! Achado para o final de semana: o Bazar Venda de Garagem, no Tupinikim, em Santo André/SP. Um montão de marcas legais, peças exclusivas e precinhos amigos. ❤ Anota aí: dia 20 de julho, mais conhecido como este domingo. (:

O mais legal: como a edição é de arraial, vai ter cardápio típico e bebidinhas tipo quentão & vinho quente.  Muito amor, né? Vou tentar dar uma aparecida por lá (apesar da minha meta de economizar), para conhecer e ver gente bonita.

Para despertar vontade em vocês também, dei uma surrupiada em algumas fotos do Facebook do VG (curtam lá!) para vocês verem algumas peças das marcas presentes:

Peças da Maria Liloca - Vi que vai ter vestido, legging, saias, com estampas lyndas

Peças da Maria Liloca – Vi que vai ter vestido, legging, saias, com estampas lyndas

Última edição do VG, quanta peça bonita! (:

Última edição do VG, quanta peça bonita! (:

E quanta gente linda também!

E quanta gente linda também!

Peças da Dona Santa - Imagina que fofo usar uma dessas com saia longa de cintura alta?

Peças da Dona Santa – Imagina que fofo usar uma dessas com saia longa de cintura alta?

Utensílios e fofurices para casa da Blasic.

Utensílios e fofurices para casa da Blasic.

Look todinho da Jazz Niggaz. Eu tenho peças da marca e super indico!

Look todinho da Jazz Niggaz. Eu tenho peças da marca e super indico!

Decor da Rebeca Guerra

Decor da Rebeca Guerra

Tem roupinhas para eles também.

Tem roupinhas para eles também.

Acessórios também presentes.

Acessórios também presentes.

O Venda de Garagem jé existe desde julho de 2013 e surgiu com a ideia de misturar moda, beleza, arte, música, decoração e gastronomia em uma garagem de Santo André. Daí, dezenas de marcas já passaram pelas edições do VG, ele virou um sucesso, saiu da garagem e conquistou bares e restaurantes, que abrem as portas para o evento. Legal, né?

Então, anota:
Bazar Venda de Garagem ABC – 20 de julho – domingo
Tupinikim – Rua das Monções, 585 – Bairro Jardim – Santo André/SP

 *Este post não é um publieditorial do evento ou de quaisquer marcas

Projeto de vida: cinco meses sem gastar à toa

É, gente… Eu to lascada em contas para pagar, confesso. Parte disso aconteceu porque nunca fui de dar muito valor ao dinheiro, sabe? Sou do tipo de pessoa que pensa “dinheiro foi feito para gastar”, só que eu esqueci de um detalhe importante: não sou rica, não tenho dinheiro para gastar.

Resultado: usei e abusei do crédito do banco e do cheque especial. Vi alguma coisa que eu gostei? Bora comprar! Isso inclui tudo: roupas, livros, comidas, objetos de decoração. Tudo bem que eu uso tudo o que eu compro, mas isso não me absolve da culpa, né?

Até porque o que importa mesmo, o que e preciso mesmo, eu acabo não comprando porque fico atolada em dívidas de coisas desnecessárias. ):

Pois bem, resolvi dar um basta! E um jeito de eu conseguir me manter focada na missão-de-não-gastar-com-o-que-eu-não-preciso é compartilhar aqui no blog. Afinal, não vou fazer feio para vocês, né? ;p

cinco meses sem gastar à toa

Como vai funcionar – Eu me inspirei no projeto da Beca Brait, só que fiz 5 meses porque dezembro tem Natal e eu sempre acabo comprando presentinhos ( para mim) para a família.

A ideia é que eu compre só o que eu REALMENTE precisar. Vou separar a quantia de R$ 50,00 para comprar coisas para mim. Vocês não tem ideia de como isso é pouco para minha realidade consumista, mas vamos lá! Se eu precisar de algo mais caro, vou ter que esperar o mês seguinte para somar as quantias de 50 dilmas.

Por que vai ser bom? Porque vou economizar para investir em coisas maiores e em experiências (uma viagem, um salto de paraquedas, quem sabe?), também porque vou aprender a administrar melhor o que eu ganho. Além de tudo, vai estimular minha criatividade: vou reaproveitar as peças do meu armário em looks diferentes, sem precisar ficar comprando coisas extras.

Então, começa hoje! Preparadas? hahaha

Vou compartilhar com vocês todo o processo, porque quero me organizar com um dinheirinho para sair, me divertir, para guardar e etc. Mais saudável, né? (: Acredito que possa servir de exemplo e de inspiração para pessoas que, como eu, não sabem administrar seu din din.

Então, um grande beijo e fé na poupança, rs.

Sobre mudar por dentro (e por fora)

Meu cabelo em janeiro de 2014. Não sinto saudades (:

Meu cabelo em janeiro de 2014. Não sinto saudades (:

Desde o início de março eu comecei uma nova fase na minha vida. Resolvi que era hora de me conhecer melhor, lapidar algumas coisas em mim e viver de forma mais harmoniosa com as pessoas ao meu redor e com o mundo em si.

A decisão? Fazer terapia! Meu namorado já fazia há um ano e só falava maravilhas sobre isso. Eu mesma conseguia pereber nitidamente a diferença que o processo terapeutico tinha feito na vida dele (e na nossa, por consequência). Em meio aos meus defeitos (e as brigas que eu arrumo por causa deles), resolvi começar.

E, para minha surpresa: eu amei! Dava para encher um caderno com o tanto de coisas que eu descobri sobre mim. Coisas palpáveis, que eu só não havia percebido porque sou distraída demais. Minha psicóloga analisa meus sonhos, decifra coisas que meu inconsciente grita, me dá opiniões e puxões de orelha. Tudo isso me dá motivação para seguir alguns rumos, pensar e observar novas coisas e tomar as rédeas da MINHA VIDA.

Hoje, quatro meses depois, sinto que a mudança está cada dia mais forte dentro de mim. Não tenho mais vontade de ser como todo mundo é ou perseguir padrões. Quero só viver minha vidinha, com as coisinhas que eu gosto e que me fazem bem, e fazê-la dar certo ao lado de quem eu amo.

Por querer a cada dia mais “ser eu”, resolvi dar uma cara nova a mim mesma, com um novo corte de cabelo e novas sobrancelhas. Sejam bem-vindos à nova eu, que sempre esteve aqui:

Meu novo cabelinho. Dois palmos mais curto, com mais o meu jeitinho. Aprovam?

Meu novo cabelinho. Dois palmos mais curto, com mais o meu jeitinho. Aprovam?

Olha que enorme estava meu cabelo. Já tinha passado da hora de meter a tesoura, né?

Olha que enorme estava meu cabelo. Já tinha passado da hora de meter a tesoura, né?

 

Sobre o corte e coloração: Cheguei decidida que iria cortar BEM o cabelo. Mostrei algumas fotos de referência para o cabeleireiro, e ele sugeriu algo como a Alexa Chung nesta foto (levando em conta, claro que eu não tenho nem 1/3 da beleza dela e meu cabelo é liso-escorrido). Daí, pronto. Ele cortou na altura dos ombros e fez um ombré de leve, mais para trazer luminosidade do que deixar mega-loiro. Eu curti bastante, porque iluminou meu rosto e deixou o cabelo mais jovial e “mudérninho”. Vocês aprovam? (:

Rodrigo Zucco, meu querido, trabalhando em uma cliente antes de mim. Ele arrasa em tudo que faz!

Rodrigo Zucco, meu querido, trabalhando em uma cliente antes de mim. Ele arrasa em tudo que faz!

Sobre o salão: eu sou viciada e apaixonada pelo Retrô Hair, aquele salão lindo na Rua Augusta, em SP. Já cortei meu cabelo lá uma vez, com o Rodrigo Zucco e voltei novamente para entregar as madeixas nas mãos dele. ❤

Confio de olhos fechados no trabalho dele, na qualidade do salão e adoro todo mundo daquele lugar. Sem brincadeira, o serviço é tão bom que eu fiquei 10 meses sem mexer no meu cabelo (só fazia aquelas hidratações de 3 minutos, no banho) e ele não ficou espigado, nem quebrado, nem cheio de pontas duplas. Retrô é coisa linda de Deus, e o Rodrigo é Deus! hahaha

Ah, e lá é aquele esquema: você corta o cabelo, ganha massagem e ainda pode tomar cerveja durante todo o processo (e também fofocar com o hair stylist).

A decoração é um amor <3

A decoração é um amor ❤

Preço: o preço do Retrô é meio salgadinho. Só o corte custa R$ 80, para vocês terem noção. Mas é aquilo de sempre: depende do que você está comprando, né? Quando vou lá, vou para ser bem atendida, tomar cerveja, ver gente estilosa e viver um pouco daquela atmosfera/experiência do salão. Fora o serviço que, como eu comentei ali em cima, é espetacular! Portanto, para mim vale cada suado centavo. E outra: eu vou lá no máximo duas vezes ao ano, porque o cabelo demora de ficar feio, então é um luxo que compensa, né? Afinal, eu trabalho cinco dias por semana. Mereço, poxa! (:

Espero que vocês gostem da minha mudança tanto quanto eu gostei e também sintam-se inspiradas a mudar. É sempre bom fazer energia circular.
Um grande beijo!

 

Retrô Hair
11 3100 1680 //// 3151 5820
Rua Augusta, 902 . São Paulo.

*Este post não é um publieditorial (tadinha de mim, né?), é só porque eu gosto muito do salão mesmo.

O estilo (de vida) da Karol Conká

Uma coisa que eu sempre percebi foi certo preconceito com a mulher que ouve rap e que, principalmente, canta rap.
Eu, por exemplo, escuto muito e sempre recebo comentários do tipo: “nossa, mas você é tão arrumadinha!”. Gente, peraí! Quem falou que eu preciso estar de calças largas, bandana na cabeça e corrente no bolso para ouvir hip hop? Não faz sentido e, além do mais, é preconceito.

Entre as moças que fazem um rap-do-bom aqui no Brasil, está a  Karol Conká, que é uma dessas mulheres-mais-macho-que-muito-homem. Totalmente feministas nas letras! E se veste suuuper bem.

Sigo ela no instagram e vivo me inspirando nos luókis que ela monta, aliás boa parte da minha repentina-paixão pela Adidas Originals se deve a ela (até ganhei um vestido igualzinho ao dela, porque fiquei apaixonada quando a vi usando). Então, resolvi compartilhar algumas produções com vocês. Divirtam-se com a dyva Karol! ❤

 

Óculos: Herchcovitch para Chilli Beans | Camisa: Shoulder | Short: American Apparel | Bota: Tuteti | Bolsa, pulseiras, anel, colares e brincos: de brechó

Óculos: Herchcovitch para Chilli Beans | Camisa: Shoulder | Short: American Apparel | Bota: Tuteti | Bolsa, pulseiras, anel, colares e brincos: de brechó | Foto: Ivan Padovani/Revista TPM

Como não amar a composição acima? Tem várias coisas que eu amo: óculos redondo, botinha + short, franjas e MUITA COR! A Karol é toda estampada e colorida, super maravilhosa!

karol conka - look 3

Camisa: Oxus | Short: Shoulder | Bota e bolsa: Tuteti | Pulseiras, brincos e colar: de brechó – Foto: Ivan Padovani/TPM

Blusa: Shoulder | Top: Debris | Short e tênis: Adidas | Bolsa: Forever 21 | Pulseira e brincos: Tuteti | Anéis: Love Shop | Óculos: Absurda | Colar: de brechó

Blusa: Shoulder | Top: Debris | Short e tênis: Adidas | Bolsa: Forever 21 | Pulseira e brincos: Tuteti | Anéis: Love Shop | Óculos: Absurda | Colar: de brechó

Mortais, aprendam usar transparência com o estilo da Karol! Reparem que ela “ornou” os tons do top, com o tênis, short e anel. Isso cria uma unidade boa no look e, mesmo com bastante informação, a composição fica leve.

Blusa e short: Adidas |Bota: Tuteti | Óculos: Absurda | Mochila: Herschel Supply Co | Pulseiras e colar: de brechó | Brincos presente da mãe

Blusa e short: Adidas |Bota: Tuteti | Óculos: Absurda | Mochila: Herschel Supply Co | Pulseiras e colar: de brechó | Brincos presente da mãe

Morrendo e doando um rim por esse conjuntinho da Adidas Originals. Podem enviar para minha casa, MKT  da Adidas!

karol conka - Adidas Originals

Camiseta e short: Adidas Originals | Tênis: Converse | Óculos: Absurda | Brincos: Accessorize

Mais Originals. Se eu fosse uma pessoa de “cadimia”, iria malhar assim. haha

karol conka legging

Camiseta: Oxus | Colete: You Com | Legging: Oxyfit | Tênis: Adidas | Óculos: Absurda | Pulseira: Tuteti | Anel, bolsa e colar: de brechó

Legging dourada de dia + tênis + óculos espelhado. Sério! Quero ser essa mulher quando eu crescer.

karol conka look balada

Blusa: Shoulder | Top: Lupo | Short: American Apparel | Bota: Di Fiori | Colar grande: Tuteti | Colar pequeno, bolsa, pulseiras, anéis e brincos de brechó

Como dá para perceber, eu queria ser lynda e dyva como a Karol. Como não nasci com esse corpo + pele + cabelo, vou me virando como dá (comprando roupas parecidas as roupas dela).

vestido adidas originals

Vestido: Adidas Originals hooded cinza | Tênis: Adidas Originals adria em couro preto | Relógio: Casio | Crucifixo: comprei em Jericoacoara

Esse vestido eu ganhei do namorado, porque fiquei louca quando vi a Karol usando nesse programa (uma das músicas que mais amo dela):

Espero que tenham se divertido com um pouco de minha dyva-suprema-do-estilo.
Conhecem alguma outra personalidade com o gosto parecido com o da Conká? Deixa nos comentários, vou gostar de ver! (:

Beijos!

Turbantes: Onde comprar e como usar

 

Quem me conhece sabe do meu amor pela cultura africana. Adoro e me envolvo em tudo que tem referência negra: procuro estudar um pouco das religiões, ouço muita música, admiro artistas plásticos, curto referências de moda e, óbvio, de beleza. Invejo e muito as meninas que têm cabelo crespo e podem abusar do volume. Fico #chatiada porque não posso usar black power.

Mas meninas de cabelo liso-murcho-escorrido como o meu, podem experimentar outra coisa: turbantes!

Não precisa ter um super volumão no cabelo.

Não precisa ter um super volumão no cabelo.

Quando visitei a Sala São Paulo (contei da visita nesse post aqui), a monitora usava um turbante lindo & verde & estampado. Morri de vontade de ter um, óbvio. Então, nas buscas pela internet, encontrei uma loja que valoriza muito a cultura negra e ainda vende turbantes MARAVILHOSOS: a Boutique de Krioula.

Ainda não pedi o meu porque to indecisa entre cores e estampas. Socorro! E não adianta comprar vários se eu não souber amarrar nenhum, né? Por enquanto, fiquei vendo vídeos pra entender melhor a amarração. Vou testar com lenços que já tenho em casa e aí vejo se minha habilidade me permite a compra. rs

Enquanto isso, treinem comigo:

Tutorial da boutique de Krioula, com uma amarração simples e outra mais elaborada.

A dyva Rita Eci ensinando alguns jeitos maravilhosos, que não sei se ornam no meu cabelin mixuruco. Mas vou tentar! (:

E um jeito mais simplão de todos

 

Se alguém tiver mais alguma dica de turbante, me avise. ❤

Visita à Sala São Paulo

Feriado é tempo de blogar, afinal desde março eu não conseguia escrever nada por aqui. #shameonme
Além do mais, com quatro dias de descanso (Páscoa + Tiradentes) dá tempo de sobra para descansar e curtir São Paulo vazia, fazendo passeios baratinhos e bacanas.

Para quem mora em São Paulo a dica da vez é a visita monitorada à Sala São Paulo. Fui no sábado, dia que a visita é grátis, e adorei o passeio! Indico para quem gosta história, arquitetura e, claro, acústica! A Sala São Paulo, onde a OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) ensaia e se apresenta , é uma das três melhores em aúdio e acústica no mundo. Sério, é de tirar o fôlego ver a tecnologia empregada nos espetáculos. Para vocês terem noção, o forro da sala é móvel e abaixa e levanta conforme o tipo de peça que será apresentada pela orquestra.

Durante a visita, dá para entender toda a história do edifício da Estrada de Ferro Sorocabana, aquele prédio lindo onde fica a Sala São Paulo. São 50 minutos de monitoria, que passa pela arquitetura, história do café e das estradas de ferro do Brasil, da OSESP, e até testes de acústica dentro da Sala São Paulo.

Mal posso esperar para assistir um espetáculo lá. O mais legal é que dá para ir sem pagar nada: todo domingo tem concertos matinais de graça! Quando eu for, conto aqui (:

Ladrilho Sala São Paulo

Ladrilhos com mosaicos que representam as folhas de café, produto escoado pelos trens que passavam na estação | Slipper da Corello

Folhas de café nas portas do edifício

Folhas de café nas portas do edifício

Estação Julio Prestes

Estação Julio Prestes

 

Uma das cúpulas do edifício

Uma das cúpulas do edifício

cúpula sala são paulo

IMG_1719

IMG_1734

Sala São Paulo

Este salão é alugado para eventos

Sala São Paulo Lustre

Lustre espanhol

 

Vitral sala são paulo

O vitral foi feito por alemães

A exuberante Sala São Paulo e seu forro rebaixável

A exuberante Sala São Paulo e seu forro rebaixável

Arquitetura Sala São Paulo

Relógio da Estação da Luz, visto da Estação Júlio Prestes

Relógio da Estação da Luz, visto da Estação Júlio Prestes

Prédio da Estação Pinacoteca

Prédio da Estação Pinacoteca

Eu e o Alan, sendo esquisitos depois da visitação

Eu e o Alan sendo esquisitos depois da visitação

Visitação à Sala São Paulo

Preços – De segunda a sexta-feira: R$5,00 por pessoa. Aos sábados e domingos: grátis.

Agendamento – Para grupos acima de dez pessoas o agendamento é necessário. Para grupos menores é bom agendar para garantir o ingresso, senão é chegar lá e esperar para ver se tem ingresso.

Informações de agendamento –  visita@osesp.art.br ou (11) 3367-9573